Lala Lala é o projeto indie rock / post-punk da cantora e compositora Lilli West. Nascida em Londres, West se mudou para Los Angeles com sua família quando ainda era uma adolescente.  Aos 19 anos mudou-se para Chicago, onde iniciou os estudos no Instituto de Artes de Chicago, entretanto, não se sentia comprometida com os estudos e tinha imensas dúvidas sobre suas escolhas, pois sempre teve o sonho de fazer música e seguir carreira musical. Por esse motivo, em 2014, quando recebeu o convite de sua amiga Emily Kempf para sair em turnê com a sua banda, o Supermagical, West não pensou duas vezes e abandonou a faculdade. O seu projeto solo, Lala Lala, surgiu tempos depois, vindo servir “como forma de processar suas novas experiências”.  Neste trabalho encontrou sua redenção, já que pode, através de suas canções: “falar aquilo que pensava que nunca poderia dizer em voz alta a outras pessoas” e se libertar de seus fantasmas. Deste período de turbulência nasceu o seu álbum de estreia, intitulado Sleepyhead (2016). Em meio a riffs nervosos e letras fortes, a jovem compositora (com 21 anos na época), apresenta-nos, os percalços de sua vida adulta de modo pouco sutil,  revelando suas lutas pessoais contra vícios, perdas, medos, etc. Em 2018, lançou seu segundo trabalho, The Lamb, desta vez sob o selo Hardly Art. The Lamb representa o esforço de West contra sua falta de controle e reflete sua coragem de contornar estes problemas: abdicando de seus vícios e encontrando na sobriedade um novo senso de confiança e clareza: “Enquanto produzia este trabalho, eu estava reaprendendo a viver minha vida. É por isso que o chamei de The Lamb, sou como ovelhas aprendendo a viver de novo, ou aprendendo a andar pela primeira vez“. West comenta ainda que o processo de criação de The Lamb foi totalmente diferente de Sleepyhead:  “Para mim, estar sóbria é estar plenamente consciente, e esse disco (The Lamb) é a primeira coisa que fiz enquanto prestava atenção, estando totalmente presente”, diz ela. Nos últimos anos, em suas apresentações, vem sendo acompanhada por sua amiga de longa data Emily Kempf (Supermagical, Dehd e Vail) no baixo e backing vocal e Ben Leach (Drool) na bateria. Produz um som que pode ser classificado como uma mistura post-punk e dream pop carregada de sintetizadores, bateria eletrônica e riffs de guitarra. Mesmo um achado, ouçam!



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.